Disponível para todos os públicos prioritários, vacinação contra a Gripe acontece em mais de 70 locais

Disponível para todos os públicos prioritários, vacinação contra a Gripe acontece em mais de 70 locais
Gostou? Compartilhe nas suas redes

Iniciada no dia 03 de abril, a campanha de vacinação contra a Gripe segue  em Campo Grande com doses disponíveis para todos os públicos estabelecidos como prioritários pelo Ministério da Saúde. Quem ainda não se vacinou deve procurar uma das mais de 70 unidades básicas e de saúde da família espalhadas pelas sete regiões urbanas e distritos da Capital.

Conforme a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), devem se vacinar os idosos com 60 anos ou mais, trabalhadores da saúde, crianças de seis meses a menores de seis anos, gestantes em qualquer idade gestacional, puérperas até 45 dias pós-parto, caminhoneiros, população indígena, profissionais das forças armadas, profissionais das forças de segurança e de salvamento, trabalhadores da educação, trabalhadores do serviço rodoviário de transporte de passageiros, população com deficiências permanentes, população com comorbidades, profissionais do sistema penitenciário, profissionais portuários, população privada de liberdade e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas.

Baixa procura

De acordo com a primeira parcial da campanha de vacinação divulgada no dia 14 de abril aproximadamente 25,8 mil pessoas foram imunizadas em Campo Grande, o que representa menos de 8% de cobertura. A meta é vacinar ao menos 90% dos públicos estabelecidos como prioritários pelo Ministério da Saúde, o equivalente a 300 mil pessoas.

A maior procura foi entre os idosos de 60 anos ou mais. Até o momento, 17,3 mil pessoas pertencentes a este público foram vacinadas, ou 12,84% do quantitativo populacional estimado em 134,7 mil pessoas.

Após os idosos, os professores do Ensino Básico e Superior, que englobam o público de Trabalhadores da Educação, estão entre que mais se vacinaram, com 8,86% de cobertura, seguido das Puérperas (7,89%)  e os Trabalhadores da Saúde (6,91%). Entre as crianças de seis meses a menores de seis anos, apenas 3,2 mil foram vacinadas, ou o equivalente a 4,67% do público estimado de 69,8 mil pessoas.

. Em 2022, apenas 43,4% de todo o público-alvo buscou pela vacinação. 

 A vacina disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em todas as unidades de saúde da Capital protege contra os vírus H1N1 e H3N2 da Influenza A e contra a Influenza B, sendo eficaz contra as três formas diferentes de gripe. 

A doença
A gripe é uma doença respiratória causada pelo vírus influenza que é transmitida através do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar e também por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com a boca, olhos e nariz. A gripe provoca febre, dores no corpo e mal estar. Quem perceber esses sintomas deve procurar um posto de saúde.

Prevenção
Cuidados simples ajudam na prevenção contra a Gripe:

  • Lave as mãos com água e sabão e use álcool gel 70% regularmente, especialmente depois de tocar o nariz e a boca ou superfícies que possam estar contaminadas;
  • Proteja o nariz e a boca. Cubra-os enquanto espirra ou tosse e use lenços descartáveis.
  • Evite tocar a boca e o nariz.
  • Melhore a circulação de ar abrindo as janelas.
  • Evite ficar por muito tempo em locais com grande aglomeração de pessoas.
  • Mantenha hábitos saudáveis: coma e durma bem, além de fazer exercícios físicos regulares.

Vacinação Covid-19

Desde o início do mês pessoas com comorbidades e que que tenham 12 anos ou mais, grávidas e as puérperas que deram à luz há até 45 dias estão aptos a receber a vacina Bivalente contra a Covid-19.

Além destes públicos, o imunizante está disponível também para trabalhadores da saúde, população com 60 anos ou mais, indígenas aldeados e quilombolas a partir dos 12 anos de idade, para isso é necessário o esquema vacinal completo e a última dose ter sido aplicada há pelo menos quatro meses. 

O reforço também está disponível para quem finalizou o esquema primário e tem pelo menos 12 anos de idade. E quem tem 18 anos ou mais e completou o mesmo período após receber o primeiro reforço, já está apto para o segundo. 

Crianças a partir de seis meses se enquadram para iniciar o esquema vacinal. Aquelas iniciaram o esquema com a Pfizer baby devem receber a segunda dose após um intervalo de quatro semanas e a terceira após oito semanas da dose anterior.  

campaonews

campaonews