Projeto Kéxunakoa: oficinas resgatam memórias dos povos Terenas

Projeto Kéxunakoa: oficinas resgatam memórias dos povos Terenas
Gostou? Compartilhe nas suas redes

Aldeia Urbana Marçal de Souza é palco das atividades e programação segue até o dia 14 de abril

O grafismo Terena, símbolo de identidade étnica e cultural do seu povo, é um dos principais elementos das ações do Projeto. Essa arte ancestral será objeto de estudo teórico e prático da oficina de pintura sobre tecido, as atividades tiveram início neste sábado (1°), no Memorial da Cultura Indígena Cacique Enir Terena, em Campo Grande (MS).

Fotos: Ana Carolina Fonseca

O aprendizado integra uma das etapas da confecção de trajes típicos, produzidos pela própria comunidade. Ainda está prevista, entre os dias 6 e 13 de abril, a oficina de danças tradicionais. A reprodução das vestimentas, e o resgate das danças, dão continuidade à preservação dos costumes e tradições das 240 famílias da Aldeia Urbana Marçal de Souza. O Projeto Kéxunokoa, é contemplado pelo FMIC(Fundo Municipal de Investimentos Culturais), por meio da Sectur (Secretaria Municipal de Cultura e Turismo).


A professora e designer Benilda Vergilio, pertencente ao povo indígena Ejiwajegi Kadiwéu e vai ministrar a oficina de pintura sobre tecido. Ela explica que cada etnia possui a sua iconografia, que são os símbolos pertencentes ao povo.

“As alunas vão fazer seus próprios desenhos, seguindo a especificidade cultural da etnia terena. Émuito comum fazermos essas trocas de conhecimento e contribuir entre povos diferentes. Estou muito feliz e acolhida em fazer parte de um projeto que foi tão sonhado”, ressalta.


Na outra ponta do processo criativo, a terena Natielly Souza de Albuquerque, de 23 anos, que nasceu e cresceu na Aldeia Urbana Marçal de Souza. A estudante e artesã é uma das responsáveis pela confecção dos 20 trajes típicos.

“O corte e a costura são habilidades que busquei desenvolver junto ao dom de criar peças e pinturas”, conta. Ao lado da avó Bartolina de Souza, troca experiências e aproveita o conhecimento da anciã para criação e produção das vestimentas.

O Projeto
Kéxunakoa significa “fortalecer a tradição. Idealizado pela gestora do Memorial da Cultura Indígena Enir Terena, Maria Auxiliadora Bezerra, e a professora Fabriciane Malheiro. Além das oficinas, a programação conta com a revitalização do principal mural do Memorial, além de uma vivência entre artistas muralistas e as crianças para a criação de um mural coletivo.

Alice Hellman e Caio Mendes, são os artistas responsáveis pelas restaurações. O mural principal possui 40 metros de comprimento, e vai ganhar cor por meio de técnicas do graffiti. A obra consiste na correlação dos elementos que representam a raiz terena e destaca a 1ª cacique mulher em MS, Enir Bezerra, símbolo da luta e força feminina entre todos da etnia . “Queremos dar continuidade ao conhecimento tradicional que precisa ser levado de geração em geração, ainda mais quando falamos de uma comunidade terena que está inserida no coração da Capital”, garante Caio Mendes.

PROGRAMAÇÃO:

Oficina de pintura sobre tecido

01 e 02 de abril das 9h às 11h – 13h às 16h

Oficina de dança típica terena

18, 30 e 31 de março – 18h às 20h
06 e 13 de abril – 18h às 20h

Confecção de trajes tipicos

21 ao dia 31 de março – desenvolvimento e confecção
01/04 – entrega dos trajes

Restauração do mural do memorial

29, 30 e 31 de março e dia 01 a 07 de abril – período de pintura
08 de abril – finalização e entrega

Pintura do mural coletivo

09 a 13 de abril – período de preparo, pintura e entrega

Evento de encerramentos das ações

14 de abril – 14h às 20h

Instagram: @projetokexunakoa

campaonews

campaonews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *