Melhorias urbanas na Rua 14 de Julho fazem da Capital referência nacional em mobilidade

Melhorias urbanas na Rua 14 de Julho fazem da Capital referência nacional em mobilidade
Gostou? Compartilhe nas suas redes

O conceito de rua calma na área central, inaugurado em Campo Grande com a requalificação da Rua 14 de Julho, virou referência nacional de mobilidade urbana nesta semana, em evento no Ministério da Saúde, do Governo Federal.

O Encontro Técnico de Vigilância de Doenças Crônicas e Agravos não Transmissíveis, organizado pela Secretaria de Vigilância em Saúde e Ambiente, trouxe nessa quinta-feira (29) o debate sobre mobilidade urbana, com apresentação de cases de experiências inovadoras e exitosas no País. O projeto da 14 de Julho, apresentado pela Subsecretária de Gestão e Projetos Estratégicos, Catiana Sabadin, esteve lado a lado de iniciativas desenvolvidas em outros estados, como Paraná e Minas Gerais.

O evento destacou a importância de uma mobilidade urbana funcional, segura e sustentável para o bem-estar de toda a população. Reunindo gestores e trabalhadores em saúde, foi a oportunidade de discutir paradigmas e a construção de uma agenda estratégica para diminuir a morbimortalidade por acidentes.

“Há uma má interpretação do conceito de rua, vista apenas como uma superfície bidimensional na qual os veículos se deslocam de um lugar para o outro. É preciso quebrar o paradigma atual de planejamento e pensar em uma política de mobilidade que promova a equidade no uso das vias e a segurança no trânsito, e que priorize o transporte coletivo e os transportes ativos sobre os motorizados”, afirma o gerente sênior do Programa de Segurança Viária, Dante Rosado.

A Rua 14 de Julho começou a ser requalificada em 2018, através do Programa Reviva Campo Grande, e foi entregue em 2019. As mudanças na via envolveram uma série de novos conceitos, dentre eles, o de pedestrianização, que significa dar acesso às ruas pelos pedestres. Para garantir esse uso ao cidadão, as calçadas foram alargadas, as faixas de rolamento suprimidas, instaladas faixas de travessia e, o principal, a velocidade foi reduzida para 30km por hora, garantindo ao espaço o conceito de rua calma, foco do evento que trata o trânsito como questão de saúde pública.

“Temos uma Capital com média de 1.2 carro por habitante, então enfrentamos um grande desafio para requalificar uma rua tão comercial da cidade. Com grande engajamento técnico, percebemos hoje que tivemos um ganho urbanístico enorme, atingindo o objetivo de garantir melhor qualidade de vida para todos”, relembra Catiana.

O modelo da 14 de Julho, com ilhas de descanso, paisagismo e, principalmente as rampas nas esquinas e o piso podotátil contínuo, fazem de Campo Grande uma das capitais mais acessíveis do Brasil.

Em 2021, a requalificação também foi destaque no assunto, quando o Município participou da 6ª Semana Mundial de Segurança no Trânsito das Nações Unidas, realizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), com o objetivo de incentivar a baixa velocidade de veículos em vias urbanas sinalizadas.

campaonews

campaonews