Projetos da Divisão de Esporte, Arte e Cultura chegam a 18 mil alunos da Reme

Gostou? Compartilhe nas suas redes

Os projetos da Divisão de Esporte, Arte e Cultura (DEAC) da Secretaria Municipal de Educação (Semed), chegaram a 18 mil alunos da Reme (Rede Municipal de Ensino), no primeiro semestre deste ano. O balanço foi apresentado na noite desta terça-feira (27), na Câmara Municipal de Campo Grande. São projetos de treinamentos, que envolvem todos os tipos de esporte, além de linguagens artísticas e culturais.

No primeiro semestre de 2023, mais de 350 professores estiveram envolvidos no projeto do contraturno em 127 unidades escolares.

Em comparação com 2022, segundo o chefe da DEAC, Wilson Lands, a quantidade de alunos atendidos subiu 3 mil, de 15 para 18 mil alunos, inclusive, chegaram às Emeis (Escolas de Educação Infantil). “Alunos das Emeis recebem aulas de judô, antes eram 10 Emeis, agora são 21. Ampliamos os projetos nas escolas e isso tudo fazendo gestão com eficiência. É algo extraordinário ver o crescimento de um ano para outro”.

A prefeita Adriane Lopes, conta que fez questão de que os projetos começassem no início do ano letivo. “A nossa gestão é participativa, quer planejar um futuro em Campo Grande e esporte é futuro, é tirar nossos alunos da rua e apresentar a eles uma modalidade esportiva que pode se tornar profissão. Priorizamos a educação não só falando, mas agindo. Potencializar o esporte, arte e cultura tem sido a ação prioritária. Durante esses meses, percorremos os espaços, temos acompanhado e visto de perto os frutos desse trabalho”.

Conforme o secretário municipal de Educação, Lucas Henrique Bitencourt, o balanço apresentado é o resultado do trabalho de todos. “Começamos os projetos em fevereiro, algo histórico, porque começou junto com o ano escolar. Temos 18 mil alunos que poderiam estar vulneráveis, mas estão nos projetos desenvolvidos pelos professores”.

O professor de Capoeira, Amauri Oliveira Souza começou este ano o projeto na Escola Municipal José de Souza. “Eu tenho 60 alunos nos dois turnos do 5° ao 9° ano e eles gostam muito, pedem mais aulas na semana. É bem bacana ver a mobilização dos pais também, porque eles querem e se orgulham dos filhos no projeto”.

A professora de basquete da Escola Municipal Vanderlei Rosa, Karen Renate Muller, diz que após a pandemia da Covid-19, o esporte voltou a se fortalecer. “Tenho 50 alunos do sub-11 e sub-14, a partir de 5 anos até os 14 anos. Eles adoram as aulas e a comunidade trabalha em conjunto, se um aluno não está bem na matéria, nós conversamos, explicamos que precisa melhorar, estudar mais para que possa continuar no basquete e o esporte tem servido de estímulo para tem melhores resultados na sala de aula”.

Segundo o diretor da Escola Municipal Carlos Vilhalva Cristaldo, Roberto Luís, a DEAC tem 11 projetos atuantes na unidade. “O rendimento de 90% dos alunos aumentou muito depois dos projetos que iniciaram no início do ano letivo. Tivemos uma melhora significativa nas notas por causa dos esportes”.

 

campaonews

campaonews