Novas salas modulares ampliam vagas e transformam o cenário escolar em Campo Grande

Novas salas modulares ampliam vagas e transformam o cenário escolar em Campo Grande
Gostou? Compartilhe nas suas redes

A transformação educacional em Campo Grande está ganhando destaque, com a Prefeitura concluindo a construção de 10 inovadoras salas modulares na Escola Municipal José Mauro Messias, no Bairro Moreninhas. Essa iniciativa visa atender a crescente demanda gerada pelo aumento populacional na região ao longo dos últimos dez anos, proporcionando 600 novas vagas para os alunos do 1º ao 9º ano. Além disso, até 30 de janeiro, 51 novas salas serão entregues em diversas escolas municipais, fortalecendo o compromisso com a qualidade e expansão do ensino na cidade.

Nesta etapa recebem a expansão as seguintes escolas municipais: Senador Rachid Saldanha Derzi, com 5 novas salas; EMEI Professora Elza Francisca de Souza Maciel, com uma nova sala; Celina Jallad, 4 novas salas; Professora Maria Regina de Vasconcelos Galvão, 10 novas salas; Dr. Plínio Barbosa Martins, construção de 5 novas salas; Frederico Soares, 3 salas; Professora Arlene Marques, 10 novas salas; Professora Leire Pimentel, 4 salas; Abel Freire Aragão, 4 salas; Irmã Edith Coelho Netto, 5 novas salas de aula.

A entrega das 166 salas de aula para atender a Rede Municipal de Ensino foi dividida em duas etapas, sendo a primeira agora em janeiro, no início do ano letivo e a segunda, em abril. Com as salas, o aumento no número de vagas é de 6.600.

Além do local novo, a Prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), já realiza a entrega de mobiliários novos para que os alunos estudem em um local aconchegante.

Ao inspecionar a Escola Municipal José Mauro Messias nesta segunda-feira (15), a prefeita Adriane Lopes enfatizou a política de não encerrar turmas, mas sim de criar oportunidades. “Ao descobrirmos a possibilidade de fechar turmas do 9º ano para abrir espaço ao grupo 4, isso me incomodou. Não é apropriado encerrar salas, e por isso, decidimos enfrentar o desafio, garantindo a construção de novas salas de aula de maneira eficiente, antecipando-se ao início do ano letivo.”

De acordo com Lucas Henrique Bitencourt, secretário municipal de Educação, a aquisição de novas salas é uma perspectiva notável. “Campo Grande encara o desafio de lidar com 13 mil nascimentos por ano, somado ao tempo sem construção de salas e à chegada de novos empreendimentos. As recentes salas atendem a uma considerável demanda da comunidade, e nosso compromisso é continuar fortalecendo essas iniciativas.”

O diretor da unidade escolar das Moreninhas, Daniel Ávalos, que comanda a escola há cinco anos, diz que com a construção das novas salas, será possível retomar a biblioteca. “Tivemos a necessidade de fazer da biblioteca uma sala de aula para receber a demanda, mas agora ela vai voltar a ser biblioteca, para a melhoria na qualidade do ensino dos nossos alunos”.

A presidente da APM (Associação de Pais e Mestres) da mesma unidade, Patrícia Flores, afirmou que as novas salas vão atender a demanda da região. “Com a geração dessas novas vagas, não vai mais precisar que o aluno se desloque para outra escola em outro bairro. Minha filha está no 4º ano e agora fico despreocupada porque sei que ela vai ficar aqui até o 9º ano”.

Conforme a coordenadora escolar Everlin Aline Dionizio, a unidade está melhorando muito com a construção das novas salas. “As salas são muito importantes e como falta escola na região, aqui vai beneficiar quem precisa”.

Na Escola Municipal Maria Regina de Vasconcelos Galvão, no Bairro Varandas do Campo, estão sendo construídas 10 novas salas de aula. Por lá, as salas começaram a ser montadas nesta segunda-feira (15). A escola tem 970 alunos, do grupo 4 ao 6º ano.

Segundo a dona de casa Karoline dos Santos, que tem uma filha matriculada no 4º ano na escola, as novas salas vão ajudar quem mora na região. “É só benefício, é muito bom ter novas salas, pois são oportunidades para nossas crianças”.

Energia solar

A Prefeitura de Campo Grande já começou a instalar as placas solares em quatro unidades da Capital. Na Escola Municipal Virgílio Alves de Campo, que tem 650 matriculados, a energia fotovoltaica foi toda instalada nos telhados. Todas as 205 unidades serão contempladas com energia solar até o fim deste ano.

Os equipamentos já foram entregues em outras três: Escola Municipal Domingos Gonçalves Gomes, Professor Luiz Cavallon e EMEI Nossa Senhora Auxiliadora.

campaonews

campaonews